Publicado por: Nikki | agosto 22, 2009

Guitar Hero – Médio

===[Intro]=== (Subindo o nível)

Agora você já domina o básico da Guitar/Bass em Guitar Hero, mas ainda assim o Expert parece absurdo? Calma, é aqui que padrões começam a ser percebidos, como as “scales” ou os “gallops”. E é isso que veremos mais nessa parte do guia: seções comuns nas músicas, que possuem técnicas fáceis de lembrar e permitem a você explorar o Expert com uma sensação menor de “HEIN!?”.

===[Warm-up]=== (Índice)

Cold Winter Morning (Explorando a engine)
Breakneck Desperado (Tipos de Alt-strumming)
Start Soloing! (Aplicações de HOPOs)
Flood! (Versões de GH)
The Aftermath (Qual a diferença entre GH e RB (Guitar/Bass)?)

===[Cold Winter Morning]===
(Explorando a engine)

– “Sliding”

É a técnica onde você desliza seu dedo da ponta (geralmente o 1 ou 4) para ir para o outro fret, trocando de posição. Isso é útil porque você estará trocando de posição o tempo todo no Hard/Expert, pois são 5 frets para 4 dedos… além disso, existem partes onde há sequências só com Y/B/O por exemplo, e você pode precisar da 3rd position para acertá-las.

O mais comum é usar a 2nd position como padrão, e trocar para a 1st position quando precisar acertar um G. O motivo é simples: é mais fácil dar sliding com o indicador que o mindinho! Sem contar que, a partir da 2nd position, é mais fácil chegar na 3rd position.
É um pouco complicado acostumar com isso se você veio do Easy/Medium, pois eles condicionam você à 1st position. Mas entrando no Hard/Expert, é bom que você reaprenda a jogar na 2nd position.

Ou seja: aprenda a 2nd position como padrão!

– Usando chords em notas

Devido à propriedade do Pull-Off, você pode segurar uma nota mais baixa enquanto toca uma nota mais alta. Ou seja, ao invés de simplesmente segurar o B para acertar um B, você pode segurar (YB), ou até mesmo (GRYB)!

Isso serve para os Pull-offs, mas também simplifica seções como (GR)R(GR) por exemplo, pois você pode tocá-las como (GR)(GR)(GR), já que o (GR) funciona como R.

Ou seções como GRGYGB (todos strums), onde você pode manter o G segurado o tempo todo, ficando G(GR)G(GY)G(GB)

Mas note que isso só serve para notas simples, e não chords. Não é possível tocar uma (BO) segurando (YBO) por exemplo. Então, para uma seção como (GRY)(RY)(GRY), você não pode fazer (GRY)(GRY)(GRY), porque o (GRY) não conta como (RY).

===[Breakneck Desperado]===
(Tipos de Alt-strumming)

– “Gallops”

São 3 notas rápidas, como GGG GGG GGG. O método mais comum para elas é fazer DUD DUD DUD. Para facilitar ainda mais, recomenda-se soltar a strumbar após cada terceira nota, para não se confundir nos strums.

Alguns players preferem fazer DUD UDU DUD UDU, segurando a strumbar na direção do último strum. Isso costuma cansar menos, mas exige mais coordenação!

– “Fast-strumming”

São sequências rápidas da mesma nota, como RRRRYYYYY. Repare que para notas repetidas, não existe HOPOs, então você tem que usar a strumbar o tempo todo! Parece insano alguém conseguir manter uma velocidade alta e constante de alt-strum (os fast-strums tem, geralmente, ~13nps), mas isso é algo que vem com tempo e prática. Para quem toca algum instrumento, essas seções são uma grande vantagem: essas pessoas tem uma facilidade maior em achar e manter o ritmo correto!

Nessas seções, as linhas brancas no fretboard que indicam os beats são úteis para servir de “guias” no seu fast-strumming. Se você começa com um downstrum no início do beat, e temos 4 notas por beat, significa que toda linha branca será um downstrum! Isso também ajuda a identificar se a troca de fret será em um downstrum (troca de fret no beat), ou upstrum (troca de fret fora do beat).

Um meio para facilitar fast-strums com troca de frets é ver se todos eles trocam no downstrum. Trocas no downstrum são mais fáceis e intuitivas que no upstrum, então em alguns casos é melhor começar um fast-strumming com upstrum, para que as trocas sejam no downstrum.

Mas há casos onde a troca no upstrum é praticamente inevitável, então nesses é melhor saber com antecedência quando é a troca. Alguns players preferem terminar com um downstrum o fret anterior, e recomeçar o fret seguinte com um downstrum de novo, mas isso exige prática, pois devem ser 2 downstrums rápidos!

===[Start Soloing!]===
(Aplicações dos HOPOs)

– “Thriller, digo, Trill”

Um “trill” é uma repetição alternada de 2 notas. Ou seja, sequências como GYGYGYGY ou RORORORO. Elas tem um nome específico porque além de ser muito comuns, exige uma técnica padrão: o uso alternado de Hammer-Ons e Pull-Offs.

Exemplo: GRGRGRGR
Acerte e segure o G, aperte R, solte R, aperte R, solte R… percebeu o padrão? Cada Red é acertado pelo Hammer-On, e cada Green é acertado pelo Pull-Off!

– “Scales”

Elas podem ser “upward”/”ascending” (subindo) ou “downward”/”descending” (descendo). São sequências contínuas do fret mais baixo para o mais alto e vice-versa, como GRYBO ou OBYR. Geralmente recebem nomes dependendo do número de notas: 3 (triplets), ou 4 (quads). É algo que vale a pena praticar, pois são frequentes em solos.

Fingering comuns para GRYBO: 11234 (sliding com indicador), 12344 (sliding com mindinho), 11111 (sliding só com indicador)
Fingering comuns para OBYRG: 43211 (sliding com indicador), 44321 (sliding com mindinho), 11111 (sliding só com indicador)

– “Zigzags”,

O nome já é intuitivo… sim, são sequências de scales que vão e voltam, como
GRYRGRYRG. Existem 3 maneiras principais de fazê-las:

Fingering A: 123212321 – sem sliding, pode ser usado para sequências diferentes como GYBYG ou GYOYG mais facilmente usando 4 no lugar do 3

Fingering B: [1][2] 3*2**1*[2] 3 – mais confuso, mas é o mais rápido pois se beneficia de Pull-Offs. Segurando o 1, depois segurando o 2, apertando 3, pull-off do 3 pro 2, e pull-off do 2 pro 1, repita.

Fingering C: 112111211 – usando o indicador para cuidar dos 2 frets mais baixos, e o médio para o terceiro fret. É o mais fácil de fazer porque usa seus 2 melhores dedos, mas é difícil aplicar em sequências como GYOYG

– Tapping Notes

Surgiram a partir do GH:WT, são notas de “vidro” (ou gelatinas XD) interligadas por uma linha roxa (essa linha não aparece no PS2). Elas nunca precisam de strum, então mesmo errando a nota anterior, você pode continuar só com os frets, ao contrário dos HOPOs. Isso faz com que o tapping seja mais fácil (não precisa de elbow strum em caso de erro), mas elas possuem uma limitação: para prevenir “spams” de frets acertando todas as notas, apertar vários frets fora de hora ou apertar frets a mais irá quebrar seu combo.

===[Flood!]=== (Versões)

– Quantas versões de GH existem?

Guitar Hero 1 (PS2)
Guitar Hero 2 (PS2/X360)
Guitar Hero 3: Legends of Rock (PS2/X360/PS3/Wii/PC)
Guitar Hero: Aerosmith (PS2/X360/PS3/Wii)
Guitar Hero: World Tour (PS2/X360/PS3/Wii)
Guitar Hero: On Tour (NDS)
Guitar Hero: On Tour Decades (NDS)
Guitar Hero: Metallica (PS2/X360/PS3/Wii)
Guitar Hero: Modern Hits (NDS)
Guitar Hero: Smash Hits (PS2/X360/PS3/Wii)

Próximos lançamentos:
Guitar Hero 5 (PS2/X360/PS3/Wii)
Guitar Hero: Van Halen (PS2/X360/PS3/Wii)

– Qual a diferença entre as versões?

– [Guitar Hero 1]
Timing window: pequena
HOPOs: muito difíceis de usar
Músicas: 41
Co-op: Não
Early Whammy

-[Guitar Hero 2]
Timing window: média
HOPOs: médios
Músicas: 64 (o X360 possui 74)
Early Whammy

-[Guitar Hero 3]
Timing Window: grande
HOPOs: fáceis
Músicas: 70 (mais DLC para X360/PS3/Wii)

-[Guitar Hero: Aerosmith]
Timing Window: grande
HOPOs: médios
Músicas: 41

-[Guitar Hero: World Tour]
Timing Window: média
HOPOs: médios
Músicas: 84 (mais DLC para X360/PS3/Wii)
Tapping Notes (difíceis de usar)
Full Band

-[Guitar Hero: Metallica]
Timing Window: média
HOPOs: médios
Músicas: 49
Tapping Notes (rebalanceadas)
Full Band

-[Guitar Hero: Smash Hits]
Timing Window: média
HOPOs: fáceis
Músicas: 48
Tapping Notes (rebalanceadas)
Full Band

===[The Aftermath]===
(Qual a diferença entre GH e RB (Guitar/Bass)?)

Esse guia foca mais na parte do GH que do RB, mas os jogos são bem semelhantes, possuindo até músicas iguais entre eles. A guitarra do Rock Band possui “Solo Buttons”, que podem ser utilizados nas “Solo Sections”. Esses “Solo Buttons” permitem tocar o solo sem precisar da strumbar (como se fossem tapping notes). As “Solo Sections” são seções marcadas em azul, que vale um bônus em pontuação dependendo de quantas notas você acertou na “Solo Section”.

Além disso, somente o RB possui “Chord HOPOs” (a partir do RB2): isso mesmo, HOPOs em chords.
Em contrapartida, o GH possui notas durante sustains (a partir do GH:WT), o que torna a jogabilidade um pouco diferente em algumas músicas.

Um problema do RB é o “strum limit”: quanto maior o nps de um fast-strumming, menor a timing window, que torna seções com fast-strumming quase impossíveis.
No GH, isso só acontece no GH1, GH2 e GH80’s. A partir do GH3, esse problema foi corrigido.

Como o RB foi desenvolvido a partir do GH2, muitas coisas do GH2 se mantiveram no RB, enquanto que nos GHs seguintes eles foram alterados ou sumiram. Um deles é a timing window, que no RB é menor que nos GHs a partir do GH3. Outro detalhe é o Early Whammy, inexistente no GH3 em diante, mas que ainda existe no RB.

No Bass, a diferença é maior: enquanto o GH possui Open Notes, o RB faz com que o multiplicador do Bass seja maior (ele é o único que chega a x6). Então a jogabilidade no GH é diferente, mas o erro no RB dói mais na pontuação (50 notas para voltar ao x6).

Anúncios

Responses

  1. Hum… Simplesmente excelente, muito completo. Você realmente foi do básico até as técnicas profissionais, so fiquei em dúvida se vai ter continuação.

    Foi um post muito rico em detalhes, muita coisa eu ja sabia mas demorei muito tempo para descobrir T.T. Eu gostei como usou a linguagem técnica e explicou o que significa cada uma (muitas dessas não sabia).

    So que… Isso vai ser mais um pedido… Você poderia fazer um post semelhante mas ensinando a jogar no DS (Dualshock) o controle normal do video-game.

    • Ahhh, desculpa fazer outro post mas…

      Se for atender ao meu pedido de fazer um tutorial de DS, sugiro dar como exemplo o controle do PS2.

      Existe muita gente que joga pelo DS, por preferência ou não poder adquirir uma guitarra. E sugeri o do ps2 por que é o mais ‘comum’ ja que é utilizado em dos consoles, PS2 e PS3.

      Arigatou e parabéns pelo post.


Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

Categorias

%d blogueiros gostam disto: